O que me fez sair da Mary Kay | Empreendedorismo Depois dos 30

Pensei muito antes de trazer este texto aqui, por vários motivos, e um deles o medo, a vergonha e sentimento de incapacidade, mas devido à vários acontecimentos deste ano e das últimas semana, decidi sim trazer aqui mais um capitulo dessa história.

Nem tudo são flores

A minha história dentro da Multinacional, Mary Kay não foi tão luxuosa quanto a maioria das Consultoras de Beleza independente prezam (e em certo ponto eu mesma).

Mary Kay

Momentos de ir para a rua

Já contei um pouco desta história Aqui

Meu primeiro contato com os produtos da Mary Kay, não me encantaram, até porque nunca fui vaidosa. A pessoa na qual me apresentou à empresa foi feliz na ocasião. Me cadastrei e lá fiquei por cinco anos. Entre prós e contras de amigos e familiares, me envolvi com todo o esquema:

Mary Kay

Open House na minha casa, sempre gostei.

  • Aprendizado: Reuniões de Unidade, palestras, cursos e eventos oficiais.
  • Sessões de Beleza: a melhor parte, entrar nos lares e embelezar grandes pessoas.
  • Vendas: o contraponto de todo o glamour, o que pode te envenenar dentro do negócio
  • Carreira: Meu fracasso como líder, o nível máximo alcançado foi Líder de grupo.

O ponto no qual quero que todos entendam

Fui feliz, me identifico com a filosofia, amo os produtos (uso até hoje). Mas EU não soube administrar o pessoal e o profissional, financeiramente.

Mary Kay

A triste decisão: Sair e parar com a Mary Kay

No último trimestre de 2017, entre acordos e financiamentos. Parei! Tenho ainda muita coisa pendente. Estou aos poucos me reeducando em todos os sentidos. No início deste ano (2018) voltei ao setor privado. Essa foi uma das decisões mais difíceis e necessárias para meu bem estar emocional.

Resultado

Ainda tenho palpitações, ao ver colegas de empresa, clientes ou quando ouço falar sobre a empresa. Aos poucos vou alinhando tudo isso, e aos poucos e com a ajuda de outra colega, atendo somente clientes especiais, nos quais nunca me abandonaram, mesmo sabendo que talvez saísse da empresa, e com respeito a essas clientes, faço essa ponte, para atende-las.

Por enquanto posso dizer que tentei, juro que tentei! Por esta razão, dessa forma, me entreguei mais por aqui. Um refúgio, uma forma de sair da depressão e o entendimento de que fracassei (diversas vezes me puni) por não alcançar as metas e desapontar a família.

Meu Poder Superior me ajuda muito nessas horas. Inclusive esse artigo escrevi faz tempinho e estava guardado, na semana passada fui demitida. Então resolvi postar, para que aos poucos eu me livre da culpa, e quem sabe fazer a coisa certa.

Você passou por algo parecido? Ajude mais pessoas, compartilhe nas redes sociais.

Um conselho

Portanto, caso tenha vontade de empreender seja qual for a atividade, cuide muito da saúde financeira, saiba separar o pessoal do profissional. Isso é sério. Enfim, aprendi na marra como  muitos por aí!

8 comentários sobre “O que me fez sair da Mary Kay | Empreendedorismo Depois dos 30

  1. Os Piruças disse:

    Olá
    É uma experiência marcante na vida, provavelmente alguns ja passaram ou estão a passar. Nunca é fácil.
    Uma coisa que uma vez disseram e ficou marcado na minha cabeça: Nunca metas o trabalho á frente da família.
    O trabalho podes perder e amanhã arranjas outro e a família já não é assim.

    Comigo o que custou mais foi deixar uma instituição de socorro onde fazia o que mais gostava já há 16 anos, mas saí por motivos pessoais.

    Força e não desistas.
    Cumprimentos Os Piruças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *